Greve do dia 18: São Luís terá Reunião Ampliada para construção do movimento; campi do IFMA aprovam adesão

Entidades da Educação realizam Reunião Ampliada para construir participação na Greve de 18 de Março: todos/as devem participar

Atenção estudantes, técnicos e docentes das Universidades, do IFMA, das redes estadual e municipal!

Diante da grave situação de completo desmonte das políticas sociais do estado brasileiro; da demonização do servidor público com claro intuito de sonegar o serviço que deve ser prestado à população; diante dos constantes ataques à Educação Pública; ante da ameaça de colapso dos serviços com a reforma administrativa que inclusive deve coibir concursos públicos e com a tramitação de propostas como a PEC 186 (Emergencial) que atinge os salários dos atuais servidores e ante o confisco salarial advindo da nova alíquota de contribuição previdenciária a partir de março;

Todos estão convidados/as a participar da Reunião Plenária (de caráter deliberativo) Ampliada (aberta a todos os setores), que acontece na terça-feira, 3 de março de 2020, a partir das 17h30, no Auditório do Sindicato dos Bancários (rua do Sol, Centro de São Luís), para tratar da participação do setor da Educação Pública na Greve do Serviço Público marcada para o próximo dia 18 de março.

A Greve do dia 18 foi inicialmente indicada em reunião do Fórum Nacional das Entidades do Serviço Público (Fonasefe), realizada em janeiro, como forma de defender a continuidade do serviço prestado à população. Posteriormente, durante o 39º Congresso do Andes Sindicato Nacional, que representa os professores e professoras as Universidades, o indicativo da data foi aprovado e a categoria docente chamada a construir a paralisação nessa data. Ainda no setor da Educação, durante o Seminário de Carreira do Sinasefe (técnicos e docentes dos institutos federais, e demais instituições de ensino da Rede Federal), a data também foi ratificada, indicando que em 18 de Março deverá ocorrer uma forte mobilização do setor que está entre os mais atacados pelo governo Bolsonaro. Além da Educação, outros setores do serviço público também já se preparam para se mobilizar e resistir nesse dia, contra os ataques desferidos pelo governo que classifica os servidores de “parasitas” e cuja pauta de retirada de direitos é defendida pela mídia.

Também o setor privado está sendo chamado a resistir e se juntar às categorias do funcionalismo (federal, estadual e municipal) nesse dia: além de os efeitos da reforma da Previdência atingirem a todos, como o aumento da alíquota de contribuição que passa a vigorar em março, o governo vem preparando uma nova reforma trabalhista para atacar ainda mais os trabalhadores.

Dessa forma, é fundamental a preparação de todos nessa resistência. A exemplo do que já vem acontecendo da Rede Federal de Ensino: esta semana, o Sindicato da categoria (Sinasefe) está visitando os campi do IFMA na região Sul para discutir o indicativo de greve, que vem sendo aprovado nas assembleias que estão sendo realizadas nessas unidades.

Na UFMA, a diretoria da Apruma esteve reunida esta semana e elaborou um extenso calendário de assembleias que serão realizadas logo após o carnaval em todos os campi da Universidade. As datas estão sendo fechadas com os membros do Conselho de Representantes da Apruma nessas unidades e será divulgado até esta quinta-feira, dia 20.

Também outras categorias estão realizando assembleias e devem participar das atividades do dia 18, que deverão mostrar a força e a importância do serviço público para o Brasil e expor os verdadeiros parasitas que drenam recursos públicos para alimentar o mercado financeiro.

Estudantes, Docentes e Técnicos: participem da Reunião Plenária Ampliada do dia 3 de março em São Luís, construam nas demais cidades grandes atividades nesse dia em conjunto com as demais categorias e sigamos o exemplo dos petroleiros na defesa de nossos direitos, de nossos empregos e da soberania nacional contra a destruição do patrimônio público, dos direitos e dos serviços prestados à população, pauta que vem sendo imposta de forma acelerada pelos que estão no poder.

Campi do IFMA que já aprovaram participar da greve

Durante a visita do Sinasefe Monte Castelo nos campi da região sul do Maranhão, o sindicato conversou com os servidores, ocasião em que estes aprovaram adesão à mobilização. Outros já têm assembleias marcadas para deliberar sobre o assunto.

Dessa forma, foi aprovada a participação na greve do dia 18 nos seguintes campi do IFMA:

– Porto Franco;

– Açailândia

– Buriticupu;

– São Raimundo das Mangabeiras

O Sinasefe esteve presente nos três primeiros esta semana, inclusive com participação da Assessoria Jurídica (fotos). Em São Raimundo das Mangabeiras, os docentes e técnicos-administrativos se organizaram, realizaram sua Assembleia e deliberaram pela adesão.

O Sindicato orienta aos demais a seguirem a mesma determinação, e a comunicar o Sindicato para que esteja preparado para qualquer precaução, inclusive jurídica, caso seja necessário (a Assembleia deve ter lista de presença e ata, e seu resultado comunicado à chefia imediata, como sempre acontece nesses casos). O Sinasefe também orienta à participação em atos nessa data que sejam unificados com outras categorias. As imagens devem ser enviadas ao Sindicato, via WhatsApp ou e-mail, para que seja demonstrado o caráter unitário do movimento em todo o país – o material deve ser remetido ao Sindicato Nacional para ser divulgado junto aos demais atos realizados pelo Brasil. Vamos juntos defender nossas carreiras, a Educação e o Serviço Público!

 

   

     

Veja também:

No maior congresso já realizado pelo Andes, docentes das universidades deliberam construção da greve

Greve Geral do dia 18 de Março, indicada pelo Fórum Nacional das Entidades dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) – Confisco: com reforma, novas alíquotas da Previdência começam em março: veja quanto será descontado e mais ataques

Base do Sinasefe reafirma construção da Greve Geral do Serviço Público dia 18 de Março