Duro ataque: com a aprovação da reforma da Previdência na Comissão Especial, veja como está o placar no plenário e pressione!

Com a aprovação do texto principal do relator da reforma da Previdência na Comissão Especial da Câmara nesta quinta-feira, 4, por 36 votos a 13, a ordem é acompanhar como está a intenção de votos no Plenário da Casa e pressionar os deputados em suas bases para que saibam que, em traindo o trabalhador, pagarão muito caro.

Veja como está a intenção de votos divulgada pela CSP Conlutas a partir do levantamento feito pelo jornal Valor Econômico e acompanhe também modelo de correspondência a ser enviada aos parlamentares, cujos endereços eletrônicos segue no quadro abaixo.

“O placar ainda está disputado, mas vários parlamentares já disseram ser total ou parcialmente a favor da reforma da Previdência que atacará profundamente as aposentadorias e direitos previdenciários”, diz a CSP Conlutas em seu site.

Pressão

No Maranhão, um terço da bancada já está com o governo e deve ser pressionada pelos trabalhadores.

Sigamos na luta! Nas ruas, a próxima batalha será na capital federal dia 12, no Grande Ato por Educação, Previdência e Emprego!

Modelo de Carta

À Sua Excelência o (a) Senhor (a)

Deputado Federal…

Câmara Federal

Brasília/DF

                  Senhor Deputado,

A PEC 06/2019 (reforma da Previdência), a pretexto de combater privilégios, ataca em primeiro plano os mais vulneráveis, como trabalhadores rurais, professoras, idosos carentes, além de representar um duro golpe no servidor público, com aumento de alíquotas que se somam aos descontos vultosos que já incidem sobre os salários. A propaganda oficial calunia o servidor, apresentando-o como privilegiado, quando, como é de Vosso conhecimento, essa não é a realidade da grande parcela dos trabalhadores do setor público, que inclusive desde 2013 já têm limitados seus vencimentos ao mesmo teto do INSS quando da aposentadoria.

Ao mesmo tempo, a proposta passa ao largo da cobrança dos grandes devedores da Previdência, estes sim, privilegiados por não darem sua parcela de contribuição à manutenção desde importante mecanismo de distribuição de renda e fator decisivo no combate às desigualdades, e do qual não podemos abrir mão, visto que é um direito de todo trabalhador/a. Some-se a isso o fato de o discurso de rombo, em se respeitando o sério trabalho desenvolvido no âmbito do Parlamento Brasileiro, já se mostrou falacioso, como comprovou a CPI que tratou sobre o assunto.

Dito isso, é fundamental que o senhor honre o voto que lhe foi confiado, não por aliados poderosos que agora lhe cobram alinhamento a este ataque ao povo trabalhador, mas pelo povo do Maranhão, um dos que mais necessitam que a Previdência Social cumpra a função que lhe foi delegada pela nossa Constituição Federal. Desta feita, solicito, por meio desta missiva, seu firme e decisivo posicionamento ao lado do Povo e contra esta proposta de reforma da Previdência que somente ataca direitos sociais, restringe o alcance desta política e destroi um sistema solidário caro ao Trabalhador Brasileiro.

Diante disso, pela presente solicitamos a V. Exa. manifestação pública contrária, bem como seu voto contrário, a esta medida pretendida por Bolsonaro e por seu ministro Paulo Guedes, a bem do seu mandato junto aos seus representados, bem como de seu nome na História do Brasil, atuando na defesa daqueles que lhe delegaram o poder de assim o fazer.

            Certos da atenção de Vossa Excelência, agradecemos,

            Atenciosamente,

Contatos dos deputados propensos a votar com Bolsonaro

ALUISIO MENDES

ANDRÉ FUFUCA

EDILÁZIO JÚNIOR

HILDO ROCHA

PASTOR GILDENEMYR

Deputados que se dizem “indefinidos”

(Fonte: Valor Econômico)

CLEBER VERDE (PRB)

EDUARDO BRAIDE (PMN)

GASTÃO VIEIRA (PROS)

JOSIMAR MARANHÃOZINHO (PL)

JUNIOR LOURENÇO (PL)

PEDRO LUCAS FERNANDES (PTB/MA)

JUSCELINO FILHO (DEM)

MARRECA FILHO (PATRIOTA)

Deputados que já se declararam contrários à PEC 06

Bira do Pindaré (PSB), Gil Cutrim (PDT), Márcio Jerry (PCdoB), Zé Carlos (PT).