Membros da CIS tomam posse no IFMA

No dia 20 de junho, os três servidores eleitos para a Comissão Interna de Supervisão do Plano de Carreiras dos Servidores Técnicos-Administrativos em Educação (CIS/PCCTAE) tomaram posse no IFMA. São eles: Áureo Viegas Mendonça (assistente em Administração – Campus São Luís/Monte Castelo, e Coordenador do Sinasefe Monte Castelo), Michelle Silva Pinto (bibliotecária – Campus São Luís/Maracanã) e Arthur Augusto Berlie Mendes (técnico em Secretariado – Reitoria).

Durante a eleição, ocorrida em março, foram eleitos os representantes para a Comissão central e para as subcomissões locais (campi e Reitoria), cujo mandato vai de 2018 a 2021.

O Companheiro Áureo Viegas Mendonça, obteve 30% dos votos válidos. A CIS é o órgão que tem por finalidade acompanhar, orientar, fiscalizar, avaliar e supervisionar a implementação do Plano de Carreira dos técnicos-administrativos no âmbito da Instituição, além de propor à Comissão Nacional de Supervisão as alterações necessárias para aprimoramento de suas funções.

Áureo ressaltou o momento histórico que é a implantação da primeira CIS após a criação do IFMA: ele disse que isso representa uma grande conquista para a categoria dos servidores técnicos-administrativos em Educação e que, além das atribuições constantes na lei, a CIS terá um papel importante na vida funcional do servidor.

A comissão vai realizar seus trabalhos numa sala situada no prédio da Reitoria e suas decisões serão colegiadas. A partir de agora, os TAE poderão gerar demandas para serem analisadas pela CIS.

Temas de interesse da categoria como “O Assédio Moral no Serviço Público”, “Carreira Única dos Trabalhadores em Educação”, “Benefícios Defasados do PCCTAE e o RSC para os TAEs”; “A Gestão Democrática no IFMA”; “Competências e Formações dos TAEs – Lotação correlata às suas habilidades e competências (desvio de função)” deverão ter seus debates estimulados pela Comissão.

 “Nosso objetivo é promover uma discussão sobre o que o plano já alcançou, sobre aquilo que ele deixa a desejar, para assim construirmos uma carreira mais sólida dentro do Instituto, fortalecendo o bem-estar do servidor e mantendo-o motivado para continuar produzindo dentro da instituição”, afirmou Áureo.

Num momento em que os direitos dos servidores estão sob severos ataques, a instalação da CIS significa uma conquista ainda maior para os TAEs e para toda a categoria.