Junto com a reforma, governo segue querendo “empurrar” Funpresp aos servidores

O Funpresp, esvaziado fundo privado de pensão criado pelo governo Dilma para empurrar o servidor para um maior grau de incerteza em relação à sua aposentadoria segue tentando aliciar os trabalhadores do serviço público para que façam adesão a esse mecanismo com o qual há contribuição é certa, mas os ganhos futoros na aposentadoria, não.

Segundo o Andes, Sindicato Nacional dos docentes das universidades, ao entrar no Sigepe, o servidor recebe a seguinte mensagem: “Quero que a minha inscrição automática ao plano de benefícios ExecPrev da Funpresp-Exe seja ativada”. Há duas opções de resposta: Sim, e Não. Abaixo do Não está a mensagem “Estou ciente de que minha aposentadoria e pensão instituída pelo RPPS estará limitada ao teto dos benefícios do RGPS”.

Essa intimidação e terrorismo é fruto da baixa adesão, com as entidades representativas dos servidores alertando para o risco representado pelo fundo, que não dá certeza de que o servidor receberá de volta o que contribuiu.

Mesmo com o governo tentando tornar a adesão obrigatória (as entidades impetraram uma Ação Direta de Inconstitucionalidade questionando essa obrigatoriedade), os Sindicatos alertam para os riscos que essa adesão representa, e orientam aos trabalhadores a não aderir.

O Sinasefe Nacional produziu uma cartilha sobre o assunto, que pode ser acessada pelo menu do nosso site (logo acima).